Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .
Espanha 0% . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Santos, SP

Máx
23ºC
Min
21ºC
Chuva

Quarta-feira - Santos, SP

Máx
22ºC
Min
14ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - São Paulo, SP

Máx
23ºC
Min
14ºC
Chuva

Quarta-feira - São Paulo, ...

Máx
17ºC
Min
8ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Florianópolis, SC

Máx
16ºC
Min
11ºC
Possibilidade de Chu

Quarta-feira - Florianópol...

Máx
17ºC
Min
8ºC
Predomínio de

Hoje - Curitiba, PR

Máx
19ºC
Min
13ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Curitiba, PR

Máx
16ºC
Min
6ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Cuiabá, MT

Máx
35ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Cuiabá, MT

Máx
36ºC
Min
22ºC
Predomínio de

Hoje - Belo Horizonte, MG

Máx
29ºC
Min
16ºC
Possibilidade de Chu

Quarta-feira - Belo Horizon...

Máx
26ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Sete Lagoas, MG

Máx
31ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Sete Lagoas,...

Máx
28ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Hoje - Campo Grande, MS

Máx
27ºC
Min
20ºC
Nublado com Possibil

Quarta-feira - Campo Grande...

Máx
28ºC
Min
18ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,35 5,35
EURO 6,08 6,08
LIBRA ES ... 6,74 6,75
IENE 0,05 0,05
PESO (ARG) 0,08 0,08

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

29/06/2020 - 11h04Escola Judicial lança Cinco anos do Código de Processo Civil 2015Artigos abordam efeitos do novo regramento processual

A Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef) acaba de lançar o livro Cinco Anos do Código de Processo Civil 2015. A obra reúne 30 artigos assinados por magistrados e servidores que integram os quadros do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O trabalho reflete as inovações do texto normativo, com abordagem dos efeitos do novo regramento processual em vários segmentos do processo civil. A coleção especial pode ser acessada na Biblioteca Digital do TJMG. Uma comissão composta pelos desembargadores Alberto Vilas Boas Vieira de Sousa, Ana Paula Nannetti Caixeta, Lílian Maciel Santos e Mônica Libânio Rocha Bretas avaliou e selecionou os artigos. Assessores de gabinete, com atuação acadêmica reconhecida, apoiaram o trabalho da comissão de desembargadores. Refletir para avaliar A 2ª vice-presidente do TJMG e superintendente da Ejef, desembargadora Áurea Brasil, comenta que a celebração da data (cinco anos do novo CPC) proposta pela Escola Judicial manifesta-se por meio da reflexão que não é outra coisa se não a festa do pensamento.  A desembargadora Áurea Brasil diz que a obra lançada contribui para melhor compreender e aplicar o Código Civil de 2015 “Reflexão que permite a avaliação dos erros e acertos, avanços e retrocessos; que permite a correção de rumos e métodos e que conduz à aplicação racional da ordem jurídica em vigor. Para que o Judiciário possa cumprir de forma eficiente a sua missão de aplicar o Direito e de promover a convivência pacífica em sociedade”, ressaltou. A 2ª vice-presidente explica que os magistrados e assessores que integram os quadros do TJMG abordaram a nova legislação em sua recente trajetória, aprofundando seus estudos e reflexões e refletiram a experiência de trabalho que prestam no âmbito jurisdicional. “A proposta foi reunir esforços e agregar valores para a ciência jurídica e contribuir para a correta compreensão e aplicação do Código tão inovador”, destacou. A obra é estruturada em cinco eixos temáticos, dentro dos quais se inserem os 30 artigos selecionados para a obra impressa e 38 que estão na coletânea eletrônica. Os eixos são: normas fundamentais do processo civil; tutela jurisdicional e procedimentos; negócio jurídico processual; meios de impugnação das decisões judiciais e precedentes judiciais e execução e cumprimento de sentença. Olhar ético A professora da Faculdade de Direito da UFMG e advogada, Juliana Cordeiro de Faria, proferiu palestra virtual quando do lançamento da obra. Sobre a estruturação em cinco eixos, a professora enfatizou que procurou-se abordar relevantes desafios de um Código. Ela explicou que o CPC não se limitou a reformar a antiga codificação, mas se propôs a dotar o país de um verdadeiro modelo de processo civil.  Exatamente por isso, a moderna codificação passou a exigir de seus agentes uma nova forma de meditar e de compreender o Direito Processual a partir de um olhar mais ético, mais eficiente e mais justo. Esse foi o olhar que inspirou a obra, disse a professora. A professora Juliana Cordeiro comenta que o CPC/2015 valorizou o aspecto funcional do processo O CPC/2015 valorizou o aspecto funcional do processo, consagrando, entre suas normas fundamentais, a instrumentalidade, a efetividade e a eficiência, como princípios determinantes para um novo desenho do acesso à Justiça, adequado e tempestivo. Por outro lado, o Código revisado se mostrou consciente da crescente e universal valorização de um sistema multiportas para o tratamento adequado dos conflitos, em especial do estímulo aos métodos autocompositivos (a mediação e a negociação/conciliação), como técnicas mais humanas e sensíveis na tarefa de se implantar uma ordem jurídica mais justa e efetiva em uma sociedade culturalmente litigiosa, acentuou a professora Juliana Cordeiro de Faria. Direitos e liberdades O assessor Pedro Freitas, um dos autores de um dos artigos, registrou que a partir da segunda metade do século XX, fez-se necessária a instituição de uma ordem comum sobre os direitos e as liberdades do homem, dentre eles o direito a um sistema de justiça adequado e eficaz.  Por essa razão, os tratados e os documentos internacionais passaram a prever o processo como um dos direitos do homem e, nessa medida, como método de garantia, de proteção e de efetivação dos mais variados direitos. A partir do enfoque dado no plano internacional, prossegue, o direito do homem de usufruir de um sistema adequado e eficaz de justiça foi expressamente introduzido no texto constitucional, passando a ser elencado como uma garantia inpidual. Essa nova compreensão do processo implicou o fenômeno de sua constitucionalização e também ensejou a substituição da noção de devido processo legal pelo ideário do justo processo. O novo Código de Processo Civil, que já conta cinco anos de sua promulgação, diz o assessor da desembargadora Ana Paula Caixeta, comprometeu-se com essa visão de construir um processo civil que fosse caracterizado como instrumento constitucional efetivo para fazer atuar o direito material, sendo portador de garantias constitucionais mínimas.  O assessor Pedro Freitas diz que o CPC/2015 tem a missão constitucional de prestar tutela adequada aos direitos e às liberdades civis  “Todas essas garantias foram expressamente consagradas pelo novo Código, que contemplou, dentre as suas persas regulamentações, o acesso à Justiça, o direito de defesa, o contraditório e a paridade das armas processuais, a independência e a imparcialidade do juiz, a obrigatoriedade da motivação das decisões judiciais e a garantia de uma razoável duração do processo”, assinalou. “Passados cinco anos de sua promulgação, já se pode afirmar que o Código de Processo Civil, especialmente a partir da destacada atuação do Poder Judiciário de Minas Gerais, tem cumprido sua missão constitucional de prestar tutela adequada aos direitos e às liberdades civis dos inpíduos. Por esse motivo, a coletânea publicada pela Ejef, sob a liderança da desembargadora Áurea Brasil, mostra-se extremamente oportuna para auxiliar a resolução dos desafios que são apresentados diariamente aos operadores do direito”, finaliza o assessor Pedro Freitas. Acesse Cinco anos do Código de Processo Civil 2015.  
29/06/2020 (00:00)
Visitas no site:  1510949
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.