Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .
Espanha 0% . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Santos, SP

Máx
25ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Santos, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - São Paulo, SP

Máx
29ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - São Paulo, SP

Máx
31ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Florianópolis, SC

Máx
25ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Florianópolis, S...

Máx
25ºC
Min
17ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Curitiba, PR

Máx
29ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Curitiba, PR

Máx
32ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Cuiabá, MT

Máx
39ºC
Min
25ºC
Predomínio de

Sábado - Cuiabá, MT

Máx
40ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Belo Horizonte, MG

Máx
28ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Belo Horizonte, M...

Máx
30ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Hoje - Sete Lagoas, MG

Máx
31ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Sete Lagoas, MG

Máx
33ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Hoje - Campo Grande, MS

Máx
36ºC
Min
22ºC
Predomínio de

Sábado - Campo Grande, MS

Máx
37ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,57 5,57
EURO 6,50 6,50
LIBRA ES ... 7,10 7,10
IENE 0,05 0,05
PESO (ARG) 0,07 0,07

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

EPM inicia curso com debate sobre pandemia e contratos imobiliários

Francisco Loureiro e Cláudio Godoy foram os expositores.   A Escola Paulista da Magistratura (EPM) iniciou, na quinta-feira (6), o curso on-line Efeitos da pandemia nos contratos nominados, com exposições dos desembargadores Francisco Eduardo Loureiro e Cláudio Luiz Bueno de Godoy sobre o tema “Contratos imobiliários”. A gravação do debate pode ser acessada no canal da EPM no YouTube.   A abertura foi feita pelo diretor da EPM, desembargador Luis Francisco Aguilar Cortez, que agradeceu a participação de todos e parabenizou os coordenadores do curso, salientando a excelência dos palestrantes e a importância da matéria. “São temas relevantes, em especial nesse momento, que mostram a necessidade da participação do Judiciário, na tentativa de amenizar os problemas decorrentes da crise gerada pela pandemia”, frisou.   A desembargadora Claudia Grieco Tabosa Pessoa, coordenadora do curso e da área de Direito Civil da EPM, agradeceu ao diretor da Escola pela confiança e acolhimento, ao juiz Enéas Costa Garcia, também coordenador do curso e da área de Direito Civil, aos palestrantes e aos servidores que participaram da organização do curso, lembrando que o objetivo dos encontros é discutir temas de grande relevância no cenário ditado pela pandemia.   Iniciando as exposições, Francisco Loureiro lembrou que cada tipo de contrato gera prestações diferentes dos contratantes e sofre impactos variados em razão da pandemia. “A pandemia é fato notório, mas não é fato notório os efeitos que ela gera no cumprimento das obrigações assumidas em cada contrato, porque esses efeitos podem ser radicalmente diferentes, mesmo dentro de cada tipo contratual”, esclareceu. E ressaltou que não há tese genérica ou anistia em razão da pandemia: “o devedor deve demonstrar e provar, no caso concreto, que a pandemia tornou impossível ou dificultou temporariamente o cumprimento da prestação, desequilibrou o contrato ou violou a base objetiva do negócio jurídico”. Na sequência, discutiu algumas questões previamente pulgadas.   Cláudio Godoy observou que se pretendeu dar um regramento provisório para as questões condominiais na Lei nº 14.010/2020, que dispõe sobre o Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado no período da pandemia da Covid-19, e lembrou que no Projeto de Lei nº 1.179/2020 havia três dispositivos destinados aos problemas condominiais. Ele destacou o artigo 11 (vetado), que acrescentava poderes excepcionais ao síndico: a restrição de uso de áreas comuns, com respeito ao acesso às unidades autônomas, e a restrição ou proibição de festividades e de uso de abrigos de veículos por terceiros, inclusive nas áreas de propriedade exclusiva, com ressalva à necessidade de atendimento médico, obras de natureza essencial ou benfeitorias necessárias na unidade. “Esse artigo seria de grande utilidade por representar um parâmetro a seguir em problemas que estão ocorrendo. Agora, o reclamo é fundamentalmente da atuação da jurisprudência, que se vale do instrumental de Direito permanente e não de Direito excepcional, que são as disposições do Código Civil e da Lei 4.591/64 (Lei do Condomínio)”, ponderou, analisando as questões mencionadas no artigo vetado, entre outras.    imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial 
08/08/2020 (00:00)
Visitas no site:  2036612
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.