Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .
Espanha 0% . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Cuiabá, MT

Máx
35ºC
Min
26ºC
Pancadas de Chuva

Quinta-feira - Cuiabá, MT

Máx
33ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Belo Horizonte, MG

Máx
32ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Quinta-feira - Belo Horizon...

Máx
31ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Sete Lagoas, MG

Máx
33ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Quinta-feira - Sete Lagoas,...

Máx
34ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Campo Grande, MS

Máx
36ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - Campo Grande...

Máx
32ºC
Min
25ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,77 3,77
EURO 4,28 4,29
LIBRA ES ... 4,85 4,85
IENE 0,03 0,03
PESO (ARG) 0,10 0,10

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

CNJ cria grupo para coordenar curso à distância para capacitar mediadores

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou a Portaria 139/2018 que cria grupo de trabalho para coordenar e planejar um curso à distância de capacitação de mediadores judiciais. A ideia é disseminar a cultura da mediação entre os tribunais do País. O grupo de trabalho terá duração de um ano, período no qual deverá ser lançado o curso. Representando o CNJ, participam como membros a conselheira Daldice Santana e o conselheiro Henrique Ávila. A coordenação dos trabalhos está a cargo do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ministro Marco Aurélio Gastaldi Buzzi. O GT vai indicar magistrados, instrutores e mediadores para executar o planejamento e desenvolver o curso na modalidade a distância. Mediação A mediação está inserida na política permanente do CNJ de incentivo e aperfeiçoamento dos mecanismos consensuais de solução de litígios, instituída pela Resolução 125/2010. Ela está contemplada também pelo novo Código de Processo Civil e pela Lei n. 13.140/2015, conhecida como Lei da Mediação. Diferenças No Brasil, conciliação e mediação são vistos como meios distintos de solução de conflitos. O Código de Processo Civil (Lei n. 13.105/2015) reafirmou essa diferenciação no artigo 165. Na conciliação, o terceiro facilitador da conversa interfere de forma mais direta no litígio e pode chegar a sugerir opções de solução para o conflito (art. 165, § 2º). Já na mediação, o mediador facilita o diálogo entre as pessoas para que elas mesmas proponham soluções (art. 165, § 3º). A outra diferenciação está pautada no tipo de conflito. Para conflitos objetivos, mais superficiais, nos quais, por exemplo, não existe relacionamento duradouro entre os envolvidos, aconselha-se o uso da conciliação; para conflitos subjetivos, nos quais exista relação entre os envolvidos ou desejo de que tal relacionamento perdure, indica-se a mediação. Muitas vezes, somente durante o procedimento, é identificado o meio mais adequado.
09/11/2018 (00:00)
Visitas no site:  446120
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.